Ano Novo

|

Pois é, outro ano. Outro começo, outra chance, outra oportunidade de mudar. Outra vez aquela expectativa pelo destino inesperado, o anseio pelo futuro desconhecido que se estende diante de nossos pés, só esperando traçarmos a estrada a partir de nossas escolhas, e segui-la (ou não). Outra vez enchemos o peito com esperança, fé e coragem de mudar, coragem de enfrentar e conquistar. Outra vez renova-se o espírito jovem e cheio de vida dentro de cada um de nós, estampando um grande sorriso de auto-satisfação em nosso rosto sereno.
Acho isso muito importante. Acreditar. Acreditar que podemos mudar para melhor, acreditar em nós mesmos. Constatar que há ainda muita coisa boa no mundo, que há muito a ser feito ainda, e que há muito que podemos fazer.
Renovar a crença no amor, na sorte, na fé, na amizade, nos laços que nos unem. E fazer de tudo isso uma festa, celebrar o futuro, que só depende de nós e nada mais.
O importante é só tentar não perder toda essa alegria e boa vontade com o decorrer do ano. É o que pretendo esse ano. É o que desejo esse ano, a todos.

Feliz Ano Novo;)


IMAGINE

Imagine there's no heaven
Imagine que não há paraíso
It's easy if you try
É fácil se você tentar
No hell below us
Nenhum inferno abaixo de nós
Above us only sky
E acima de nós apenas o céu
Imagine all the people
Imagine todas as pessoas
Living for today
Vivendo para o hoje
Imagine there's no countries
Imagine que não há países
It isn't hard to do
Isso não é difícil de fazer
Nothing to kill or die for
Nada pelo que lutar ou morrer
And no religion too
E nenhuma religião também
Imagine all the people
Imagine todas as pessoas
Living life in peace
Vivendo a vida em paz
You may say
Talvez você diga que
I'm a dreamer
Eu sou um sonhador
But I'm not the only one
Mas não sou o único
I hope some day
Eu espero que um dia
You'll join us
Você se junte a nós
And the world will be as one
E o mundo será como um só
Imagine no possessions
Imagine não ter posses
I wonder if you can
Eu me pergunto se você consegue
No need for greed or hunger
Sem necessidade de ganância ou fome
A brotherhood of man
Uma irmandade de homens
Imagine all the people
Imagine todas as pessoas
Sharing all the world
Compartilhando todo o mundo
You may say
Talvez você diga que
I'm a dreamer
eu sou um sonhador
But I'm not the only one
Mas não sou o único
I hope some day
Eu espero que um dia
You'll join us
Você se junte a nós
And the world will be as one
E o mundo será como um só

John Lennon

Puis essa música aqui só para nos lembrarmos que somos capazes de mudar, e para trazer quem sabe um pouco mais de fé.


De alguém muito esperançosa e feliz da vida.

Dezembro de altos e baixos

|

Realmente, me surpreendo às vezes com a quebra da rotina monótona e contínua da minha vida. Minha vida é daquele tipo bem pacato, sem grandes acontecimentos ou novidades, nem nada do tipo. Mas realmente, esse mês superou tudo. Acho que aconteceram mais coisas do que o ano todo. Altos e baixos, bem balanceados, por isso mesmo não posso dizer que foi o melhor mês do ano, porque não foi. Mas foi o mês de acontecimentos e mudanças, claro.
Estou dizendo tudo isso só para refletir aqui como de repente algo tão inesperado pode vir e tumultuar a nossa calmaria. E nos fazer desejar que a nossa vida voltasse a ser monótona, que nunca tivesse deixado essa condição. E então vem algo muito bom para balancear e nos mostra que foi ridículo desejar que a nossa vida voltasse à calmaria, pois aí as coisas boas não aconteceriam. E assim vai a vida, ocorrências vêm e tiram o nosso chão, mas às vezes não tem problema, pois do nada algo nos leva aos céus em um piscar de olhos. E não importa realmente se são mudanças boas ou ruins no final das contas. Acontece, e às vezes não fomos nós que provocamos isso, claro que na maioria das vezes sim, mas certas vezes não. Então talvez não devamos perder a cabeça com as coisas, só devamos tentar tirar o melhor proveito que pudermos delas. E tentar fazer o que estiver ao nosso alcance para que só as experiências boas se repitam. As coisas vão melhorar, sempre melhoram.

“Depois da escuridão sempre vem o amanhecer”

Saudade e Futuro

|
É, não tem retorno. Tudo o que passou ficou para trás, para ser bem redundante. É tão horrível essa sensação enorme de impotência diante do tempo. É tão frustrante saber que nunca vou poder reviver nenhum dos meus momentos. É desconcertante, arrasador. E nunca mais vou estar no mesmo lugar, com as mesmas pessoas. Não como foi antes. E tudo isso simplesmente me deixa arrasada, é mais do que saudade. É como se arrancassem um pedaço de mim a cada momento que penso nisso. Os dias de sol, os dias de chuva, os dias de amor, os dias de tristeza, os dias sozinha, os dias com os amigos, os dias com a família, os dias de aventura, os dias de tédio. Todos os dias, tão encantadores à sua maneira única. Todos os dias passam, obviamente, mas não sei, acho que quase nunca paramos realmente para pensar nisso, que nunca os teremos de novo, e que nada que façamos vai mudar nada do que já fizemos. É só cumulativo, nada é reposto. E nem sempre fazemos algo que o deixe memorável, pois é a única maneira que consigo ver para que não percamos os nossos dias, para que não nos esqueçamos dele. Claro que depois de não aguentar mais ser dilacerada pela dor que causa essa estranha saudade, lembro-me de que nem tudo é assim tão terrível. Sempre há novos dias, novas alegrias, novas experiências, novos momentos. E que apesar de não poder mais ter o que se passou, posso ter coisas novas, o que eu quiser. E que o meu destino é meu, e que isso, bom, isso nem o tempo consegue tirar de mim. E que eu sou livre o suficiente para moldá-lo a minha maneira, seguindo unicamente a minha vontade. E aí também me lembro que na verdade meus dias não estão exatamente perdidos para sempre. Eles são parte de mim, até os que não foram suficiente marcados para entrarem na minha memória. Dia após dia mudamos. E eles são parte de nós. Nossos dias, nossas escolhas, nossos amigos, nossas mágoas e felicidade. E isso também é impossível tirar de mim, é a minha essência, minha alma íntima, porém não secreta, de destino livre, leve, jovem, cheia de vontade de experimentar os dias que ainda estão por vir, cheia de curiosidade pelo que ainda vou vivenciar.
E é assim que eu sigo, é assim que eu sou. Cheia de saudade, principalmente agora que ganho maturidade suficiente para perceber e ficar atormentada com o pouco tempo que temos, mas também cheia de curiosidade do que está por vir. Lógico, nunca vou esquecer nada do que passei, e nunca vou querer trocar nada, graças as minhas escolhas e ao que vivenciei sou o que sou e me orgulho muito disso. Mas, pelo menos na maioria do tempo, vou ter consciência de que o inesperado me aguarda e vou caminhar até ele de cabeça erguida, sem medo, sem temores, sem nada que me acorrente no passado. E sempre com um grande sorriso no rosto. Porque estou aqui. Porque vivo.


The Kooks - I already miss you

I know you're feeling bitter
Eu sei que você está se sentindo amarga
What I said last I didn't mean
O que eu disse por último eu não queria dizer
And now that I'm a little better
E agora que estou um pouco melhor
This is what I meant to say
Isto é o que eu pretendia dizer
Babe I already miss you
Querida eu já sinto saudades
Sweetheart I already miss you
Docinho eu já sinto saudades
Sweeteyes I already miss you
Doces olhos eu já sinto saudades
And you only just walked out the door
E você só caminhou para fora da porta
You know I hate talking on telephones
Você sabe eu detesto falar em telefones
I'm so sorry its just my way
Desculpe, este é só o meu jeito
And now that I'm a little older
E agora que sou um pouco mais velho
There's so much to you I'd like to say
Há tanto que para você eu gostaria de dizer



The Kooks - Love it all

She said "Love it all, love it all, love it all."
Ela disse: "Ame tudo, ame tudo, ame tudo."
She said "Love it all, love it all, love it all."
Ela disse: "Ame tudo, ame tudo, ame tudo."



Com muito amor, de alguém com fome de viver.

Espera

|

A espera. Requer sempre paciência, que por sinal nunca conseguimos manter por mais de alguns instantes. O grande problema da espera é que afinal é tempo demais. Tempo que custa a passar. Os dias que sempre escorrem pelos nossos dedos impotentes tornam-se anos. Anos e mais anos, e nunca chega. Mas não é bem disso que eu quero falar. O problema é quando a espera esquece-se de trazer consigo esses sentimentos torturantes. Claro, parece enfim a solução dos problemas, mas, depois de um tempo, parece que as coisas deixam de ser tão especiais, parece que elas deixam de ser inesquecíveis ao longo do tempo. Mas o pior mesmo é quando a espera está por acabar e notamos que na verdade, apesar de toda a anciosidade não queremos que ela acabe. O tormento maior não é esperar, é tomar conhecimento do que sucede a espera. E aí então tudo se inverte. Os dias tão longos e vagarosos simplesmente passam como flashes na frente de nossos olhos. E não conseguimos desacelerar, apesar da nossa vontade. E já não sabemos porque queríamos tanto que aquele dia chegasse. Às vezes a lembrança desse motivo então nos deixa divididos, ficamos ansiosos para o final da espera na mesma proporção em que receamos ela. E aí já não temos mais certeza de nada, e como sempre conseguimos nos perder dentro de nós mesmo.


Só mais um momento de alguém perdidinha.

Sem você

|

Lembro-me de antes. Julgava-me feliz, completa, auto-suficiente. Vivia, e nada mais, sem espectativas e sem sonhos, sem desejos e nem aspirações, graças ao medo que me limitava. Não tinha grandes planos, viver era mais que o suficiente, mas do que podia esperar. Até aquele dia. E então tudo se tornou mais colorido, mais alegre. Tudo teve mais sentido. E então só viver não bastava, tinha que aproveitar, explorar, descobrir. E o tempo passou a ser um inimigo. Uma vida não era mais suficiente. E me deparei incondicionalmente viciada nessa nova sensação. Viciada, não há outra palavra que expresse melhor. Não consigo viver mais sem isso. não há porque viver sem isso. Voltar a condição de antes já não é o suficiente, já não me contenta. Não depois da descoberta do verdadeiro significado que a vida pode ter.

Há uma passagem de um livro que na verdade eu não curti muito, mas que pode dizer com mais clareza tudo o que eu tentei dizer. Não é falta de inspiração, diria que o que me bloquei no momento é o excesso dela, que faz denovo as palavras conhecidas não bastarem para a discrição:

"...minha vida era uma noite sem lua. Muito escura, mas havia estrelas...Pontos de luz e razão...E depois você atravessou meu céu como um meteoro. De repente, tudo estava em chamas; havia brilho, havia beleza. Quando você se foi, quando o meteoro caiu no horizonte, tudo ficou negro. Nada mudou, mmas meus olhos ficaram cegos pela luz. Não pude mais ver as estrelas. E não havia mais razão para nada."

Stephenie Meyer - Lua Nova

(sem título)

|

Olhando bem no fundo dos olhos dele pude ver algo que nunca tinha visto antes em lugar nenhum, algo grandioso, maravilhoso, parecia até surreal. Mas eu não estava mais em condições de julgar o que era real, o que era sonho, o que era fantasia e o que era alucinação. Mas se não fosse real, bom, então eu não queria mais voltar para a realidade, para a minha vida cotidiana. Sei que valia a pena trocar tudo, mas tudo mesmo por aquele momento, onde eu não precisava de mais nada, mais ninguém além daquele que me apertava calorosamente em seus braços, que me protegia de tudo o que poderia abalar minha felicidade, que impedia que as derrotas me derrubassem ao chão. E eu sei que ele não iria me soltar, não iria me deixar voltar para o vazio sombrio que era antes, e não iria deixar que a escuridão me agarrasse e me levasse embora.
E então eu já não sabia mais sequer onde é que eu estava, já não importava mais. Eu podia passar a vida toda ali, em seus braços que eu sei que ainda seria pouco e insuficiente.
E não tinha mais volta, já estava totalmente perdida dentro dele. E eu não me importava. Nada mais me importava, tudo o que eu queria era viver aquela coisa extraordinária que apelidaram de amor.

I keep dreaming you'll be with me
Eu continuo sonhando que você estará comigo
And you'll never go
E você nunca irá embora
Stop breathing if I don't see you anymore
Paro de respirar se eu não te ver mais
'Cause with you, I'd withstand
Porque com você, eu resistiria
All of hell to hold your hand
A todo o inferno para segurar sua mão
I'd give it all
Eu daria tudo
I'd give for us
Eu daria tudo por nós
Give anything but I won't give up
Dou qualquer coisa, mas não desistirei
'Cause you know
Porque você sabe
That I love you
Que eu te amo
That I loved you all along
Eu sempre te amei
I wanted you to stay
Eu queria que você ficasse
Cause I needed
Porque eu precisava
I need to hear you say
Eu precisava escutar você dizer
That I love you
Que eu te amo
I have loved you all along
Que eu te amei todo o tempo
So keep breathing
Então continue respirando
Cause I'm not leaving you anymore
Porque eu não vou mais te deixar
Believe and hold on to me and never let me go
Acredite, segure-se em mim e nunca me deixe ir
Far away - Nickelback

Quebre as correntes....se possível

|

Todos nós somos contidos por algo. Sempre tem alguma coisa que nos segura, impedindo que façamos exatamente o que queremos quando desejamos. De certo modo isso é até bom, uma vez que se cada um fizer o que bem entende, o mundo vai virar uma bagunça. É preciso mesmo ter uma organização. Bom, antes que eu seja levada por uma reflexão que tome termos filosóficos, deixe-me redirecionar esse texto para o devido lugar: Certas vezes não somos contidos apenas pelas regras e leis, tem algo mais. Algo que nos impede de ser quem somos, dizer o que sentimos, fazer o que queremos. Algo que nos reprime dentro de nós mesmos. Lutamos contra o que somos, ou pelo menos lutamos para não sermos o que somos. Não porque não queremos, simplesmente porque não podemos ser. Essas são as nossas correntes, que nos seguram, nos prendem e que se tornam mais apertadas quando tentamos fugir. Porque se tentamos fugir quer dizer que nos incomoda a situação que nos encontramos e se descobrimos que não podemos sair dela, bom, então o nosso mundo rui. Na verdades, nós ruímos.
Bom, apesar de toda a abstração do texto, vou tentar exemplificar: Nossas correntes podem ser o medo. Medo de sermos julgados, medo de sermos quem queremos ser. Nossas correntes podem ser pessoas. Nossos pais que nos reprimem ou "amigos" que nos deixam com medo de nos posicionarmos e sermos rejeitados. Nossas correntes podem ser a insegurança. Nossas correntes podem ser a falta de oportunidades. Nossas correntes podem ser até inexistentes, coisas da nossa cabeça, que para os outros claramente não é real, mas para nós chega a ser real até demais, chega a nos perseguir.
E as incessantes tentativas de quebrar as correntes são muitas e muitas vezes frustradas. Mas não deveríamos desistir por isso não? Quem sabe um dia conseguiremos então nos libertar de nossas aflições que por várias vezes fingimos ignorar, sequer ver, mas que nos corrói por dentro, e deixamos que isso aconteça sem nem ao menos transparecer, sempre encobrindo nosso interior com aquele sorriso forjadamente estampado bem no meio de nossas caras, enquanto as nossas correntes cada vez mais apertados chega a nos deixar sem ar, até a hora que nos sufoca por completo.

With my wide eyes
Com meus amplos olhos
I've seen worlds that don't belong
Eu vi mundos que não se encaixam
My mouth is dry
Minha boca está seca
With words I cannot verbalize
Com palavras que eu não consigo verbalizar
Tell me why
Me diga por que
We live like this
Nós vivemos assim
Paramore - We are broken
De mais uma pessoa presa, como todos os demais.

A música

|


Hoje estava escutando e falando sobre músicas com uma amiga e bem, parei para pensar. É realmente impressionante o poder que a música tem. Não tem bem como descrever todas as sensações que uma música pode causar em você, ela te leva aos extremos. Te faz sorrir quando está feliz ou te anima quando está triste, aquele ritmo contagiante com uma letra super positivista te lembram as partes boas da vida. Te lembra porque vivemos, para o que vivemos. Te enchem a alma de algo extraordinário, algo que te deixa completo. É aquela sensação de que o que importa é nada mais é do que o aqui e o agora. Dá aquele vontade desesperada de viver e aproveitar todos os segundos. Sinceramente parece que te transporta para o melhor lugar do mundo, um lugar com o sol acolhedor batendo no seu rosto, mas que não te queima, pois lá tem uma brisa suave para te refrescar e deixar aquela sensação de que tudo é perfeito. Você se esquece totalmente dos problemas seus e do mundo.

Em contra partida, também tem aquele tipo de música que te arranca um pedaço, que te deixa com uma sensação terrível de vazio no corpo, mostra-te que algo lhe falta. Mostra-te que é incompleto e nunca poderá deixar essa condição. Faz com que perceba que por mais que pense que é feliz, bom, não é e nunca poderá ser. Porque somos todos humanos, não atingimos a perfeição, estamos sempre nos cercando de problemas, cada vez se enroscando mais em uma teia da qual não conseguimos escapar. E a cada tentativa de nos soltarmos acabamos mais enroscados. Esse tipo de música faz com que você se sinta engolido pela escuridão, sem nenhuma esperança de encontrar um feixe de luz sequer. Mas mesmo assim, esse tipo de música nos atrai de algum jeito, desconhecido para mim. Não estou falando de música exatamente deprimente. É aquele tipo de música na qual a melodia vem vagarosamente te envolvendo, e quanto mais de envolve, mais te deixa vazio, o que chega ser até contraditório de algum jeito.

E então vem a letra. Tem um filme, 'Letra e música', no qual a personagem principal diz algo que eu lembro de ter achado perfeito para descrever uma música. Era algo como: a melodia é como ver alguém pela primeira vez, é o que te atrai. E então vem a letra, que seria como conhecer realmente a pessoa.

Acho que é bem por aí mesmo. A letra bem escrita transforma algo que já era magnífico em algo que chega a ser surreal. Aproxima-nos da música. Faz com que sintamos mais intensamente tudo o que já estávamos sentindo, simplesmente por ser uma expressão de um estado de espírito. É um estado de espírito que sempre nos provoca e instiga a sentir nossos próprios sentimentos à flor da pele.

Sem música, acho que nada seríamos. Temos que achar um meio de transmitir e aliviar tudo o que sentimos. Temos que nos identificar, sorrir, chorar, nos alegrar, entristecer. Temos que ouvir, temos que tocar, que compor, que dançar, que nos libertar.

Medo

|

É, medo. Medo de crescer, medo de ter que amadurecer. Medo de mudar. Medo de não dar certo. Medo de que os sonhos não sejam nada mais que apenas isso. Medo de enfrentar a realidade. Medo do que me cerca. Medo do que está por vir. Medo do amanhã. Medo de não poder prever. Medo porque sei que não posso voltar atrás. Medo porque sei que não posso ignorar algumas coisas. Medo porque sei que não posso deixar para depois. Medo porque sei que todos estamos sozinhos. Medo porque sei que existe um fim.

Sofrimento?

|

Todos sempre estão por aí postando os sofrimentos e tormentas que o amor nos trás. O quanto ele tira nossas noites do que poderia ser um tranquilo sono, desejando sermos correspondidos ou então pensando o que deu errado, o que poderia ter sido diferente. Quantas lágrimas derramamos por causa dele, por causa de nossas decepções e desilusões. Claro que o amor tem todo esse lado, mas... por que nos preocupamos tanto com ele? Por que nos resguardamos com receio de encontrarmos essas lágrimas e tristezas? Ou por que encaramos o que poderia ser um pequeno desentendimento com tamanho exagero?
Não seria mais fácil se todos pudéssemos simplificar tudo isso? Se não pudéssemos vê-lo com mais clareza? Penso que às vezes (claro que não todas) o motivo de nossa tristeza talvez seja o fato de que o amor que passamos tanto tempo idealizando secretamente não atende as nossas espectativas. Mas por que raios idealizamos? Por que esperamos algo tão grandiosamente grande e maravilhoso se nós somos apenas humanos? O amor será então como todos nós, com qualidades encantadoras mas também com defeitos que não podemos fingir que não vemos. E por que fazer disto um problema? Não está aí a beleza desse sentimento, o fato dele ser tão humano?
Acho que talvez em vez de ver tão rigorosamente os defeitos do amor, deveríamos prestar atenção nas suas qualidades, que podem não ser muitas e nem grandiosas, mas que estão lá. Só ver mais positivamente. Talvez faça uma grande diferença.



Um dia desses enxerguei

|
Nunca fui uma pessoa que procura por alguém, ou que reparava nas pessoas mais que o necessário, mesmo porque ninguém nunca chegou a me chamar a atenção. Nunca fui de acreditar nessa história fantasiosa de amor à primeira vista. Bobagem ao meu ver, invenção de escritores que perdem tempo iludindo pobres criaturas que derretem-se com a ideia da existência de alguém ideal para cada um de nós. Nunca acreditei também nesse amor exagerado promovido por poetas e cineastas. Nem sei se acreditava nesse sentimento para falar a verdade.
Vivia minha vida tranquilamente, no meu canto, sem me destacar mas sem ser alguém que passa totalmente despercebida pela vida. Só seguia minha rotina, sem grandes mudanças. Até aquele dia. Ele veio até o meu encontro, nada de demais, para conversar como fazíamos às vezes. Mas aquele dia pude vê-lo de verdade. Já não era o mesmo garoto que conheci antes. Era mais alto que eu agora.Os ombros eram mais largos e já não tinha mais o corpo magro e fino de criança. Os cabelos negros já não eram desgrenhados, só de olhar podia-se notar o quão macios eram. Os olhos azuis estavam mais brilhantes e revelavam a doçura de sua alma. As palavras pronunciadas pela sua boca já não eram mais bobagens imaturas. E aquele dia eu me perdi em meio a tantas mudanças que haviam me passado despercebidas, me perdi nele. Me pergunto até hoje como pude ser tão cega por tanto tempo. Ele sempre esteve ali, na porta ao lado. De repente os dias que eu não o via tornavam-se sem graça, apesar de eu não estar fazendo nada diferente. De repente, sem nenhum aviso lá estava eu, envolta dentro de uma sensação totalmente nova e desconhecida para mim, que me assustava mas que me fazia ficar tão encantada por uma pessoa. Então pude perceber que não tudo, mas parte do que nos mostram por aí é realmente verdade.


Sobre mim

|

Onde está seu celular? No meu quarto.
E o amado? Na casa dele.
Cor do cabelo? Preto(natural)/Roxo(pintado, claro)
Sua mãe? Indescritível.
Seu pai? Como ele, só ele.
Minhas irmãs? Sou filha única.
Seu filho? Não sei se quero ter.
O que mais gosta de fazer? Muitas coisas.
O que você sonhou na noite passada? Não sei se foi noite passada ou retrasada, mas era muito complexo, e provavelmente tava fugindo de algo como sempre.
Onde você está? No cômodo sem definição que fica o computador.
Onde você gostaria de estar agora? Com uma pessoa.
Onde você gostaria de estar daqui a seis anos? Em uma casa só minha, ou minha e de amigas.
Onde você estava há seis anos? Na minha antiga casa.
Onde você estava na noite passada? Aqui mesmo.
O que você não é? Tímida.
O que você é? Fora da casinha (não fui eu que defini isso).
Objeto do desejo? Nenhum no momento.
O que vai comprar hoje? Nada, ta meio tarde pra ir fazer compras.
Qual sua última compra? Uma água, umas balas e um passe de metrô.
A última coisa que você fez? Li.
O que você está usando? Pijama.
Na TV? Não sei, não tenho visto quase nada de tv atualmente.
Seu cachorro? Não tenho.
Seu computador? Se tornando cada vez mas necessário, mas suporto longos períodos sem ele, de boa.
Seu humor? Ótimo esse ano.
Com saudades de Alguém? Sempre!
Seu carro? Não tenho.
Perfume que está usando? Contém 1g 16.
Última coisa que comeu? De comida mesmo foi um quarterão do Mc.
Fome de quê? Liberdade.
Preguiça de? Tudo que envolva pensar e fazer exercícios físicos.
Próxima coisa que pretende comprar? Nada.
Seu verão? Não gosto de calor.
Ama alguém? Sim.
Quando foi a última vez que deu uma gargalhada? Hoje.
Quando chorou pela última vez? Provavelmente fim de semana passado, não lembro se essa semana.

E não vem...

|

A solidão do meu quarto apesar de me atormentar é de certo modo aconchegante, o que não faz nenhum sentido. Através da janela, sem sequer me levantar, olho para o imenso azul escuro do céu lá fora. Um céu deserto, sem estrelas que me façam lembrar da imensidão do universo. As lágrimas voltam a recobrir o meu rosto. E a insegurança não passa. Luto inutilmente contra elas, não posso mais controlá-las, já faço isso a muito tempo. De repente o que começou com algumas gotas se transforma em uma enxurrada, que trás consigo a tona todas as mágoas e inseguranças, todas as tristezas e decepções. O choro então vem com o soluço abafado, com o desespero. E a calma não vem. Depois do demorado choro de desabafo solitário, vem o mais temido sentimento: a desistência. Vem aquela certeza de que nada que eu faça irá fazer com que as coisas melhorem. E a paz não vem. Mas o medo de que as coisas não mudem, de que os temores se tornem a realidade de meu futuro trazem um desespero e descontentamento momentâneo, que enfim, torna-se vontade de fazer com que as coisas melhorem. E vem a determinação. Determinação de transformar as pequenas chances que me restam em realidade, de torná-las possíveis.

Sentimentos

|

Nós poderíamos passar toda a eternidade discutindo sentimentos. O fato é que por mais que resumamos um sentimento a uma única palavra, por mais que coloquemos a definição dela em dicionários, isso não anula o fato de que para cada um a mesma palavra quer dizer uma coisa. Acho que a palavra que mais causa divergência de opiniões é o amor. Começando pelo fato que dizemos que existe vários tipos de amor. Amor para com a família, amor de mãe, amor de irmão, amor de amigo, amor de amantes. Mas mesmo assim, mesmo sendo tantos tipos, só existe uma palavra para tudo isso. O que me leva a pensar que não sei, talvez não sejam tão diferentes afinal. Há também o fato de definir se o que se sente por alguém especial para você é só paixão ou se é amor. Sempre escutamos por aí nossos pais, talvez avós dizendo que os jovens não amam alguém do sexo oposto (ou não). Mas, e por quê? Como alguém mesmo mais velho e supostamente com mais experiência de vida pode julgar o sentimento dos outros? Como qualquer um pode achar que tem a capacidade de julgar o quanto o outro sente? E não é só com amor não. O ser humano tem a irritante mania de sempre achar que a dor dos outros é menor que a sua própria dor. Somos egocêntricos o bastante para isso.

Bom, só queria dizer que, para mim, sentimentos podem ou não acabar. Mas isso não anula o fato de que eles existiram. Não anula o fato de que você foi feliz com alguém. E não é porque pode ser que acabe um dia que devemos parar de sentir.

Aviso

|
Bom, é com tristeza que informo que ao que parece minha conta dos blogs foi invadida, e usada de forma inapripriada para comentar em outros blogs, portanto se eu mandei um comentário inapropriado para alguém sinto muito, não fui eu. Mudei a senha e espero que isso não aconteça mais, e se por acaso quem invadiu minha conta ler isso, saiba que o desapontamento é enorme, e se deseja dizer algo para alguém, use seus dados, e não o de outras pessoas.
Me desculpem o incômodo.

Bolas de sabão

|

Felicidade. Não é a mesma coisa para todas as pessoas. O que me deixa feliz talvez não te deixe feliz. Mas é algo que ninguém desiste de conseguir, ainda bem. Mas considero a felicidade frágil. É como várias bolhas de sabão. Algumas podem acabar estourando, mas as outras ainda estão lá, você ainda tem o que te faz feliz. A coisa começa a se complicar quando vem alguém que simplesmente adora estourar bolas de sabão. Sem motivo. Porque é bem difícil o caso que é necessário acabar com a felicidade dos outros. Mas as pessoas fazem isso. E não são poucas não. Talvez seja engraçado, não sei, nunca parei para experimentar fazer isso, talvez porque não gosto quando fazem isso comigo.

As pequenas coisas

|

É impressionante como pequenas coisas ressurgem. Não sei explicar, elas simplesmente voltam a incomodar de novo. Saem de novo do fundo do baú para reinvidicar o espaço que elas um dia tiveram em sua vida. Não estou falando de coisas materiais, mas de situações, acontecimentos ou pessoas que um dia foram algo na sua vida. Algo que as vezes não nos importamos em carregar na mente. O problema é quando isso sai do cantinho que estava e começa a incomodar. Talvez não fosse nada de demais na época, mas que agora atormenta seu presente e lhe causa problemas, maiores do que um dia você imaginou que gerariam. Ou então coisas que queríamos sim esquecer, que queríamos deixar para trás preso no passado, mas que sentem a necessidade de fazerem parte da sua vida mais uma vez, mesmo que você não queira. O que fazer quando isso acontece? Não tenho ideia, se alguém souber me digam. Se é que alguém conseguiu entender esse texto.
.
.
.
Eu quero agradecer ao Just be happy e ao Serrão's blog pelos selos. Já fazem parte do blog, mas muito obrigada!

Vazio

|

Você alguma vez já teve a sensação de que um vazio vem sorrateiro e sem nenhum aviso prévio toma conta de todo o seu corpo e preenche a sua alma? Algumas vezes, na verdade até muitas, não temos idéia de onde ele vem. Talvez seja saudade de algum tempo onde tudo era mais fácil ou de alguém que talvez até não esteja longe em distância física, mas que já não está tão próximo de você. Talvez também seja uma saudade de algo que nunca existiu apesar do seu desejo mudo e duradouro. Talvez seja também uma daquelas sensações de abandono que são incompreenssíveis, tendo em vista que quase sempre que ela vem estamos cercados de pessoas. Talvez não seja nada disso também, talvez seja só um banho de realidade inesperado ou o cansaço de nosso espírito em manter a felicidade. Talvez simplesmente não tenha motivo. Talvez eu não saiba bem o que escrever hoje. Talvez eu nunca soubesse realmente.


Naquele dia eu decidi

|

video

O importante é não se afligir com os obstáculos com que todos nós nos deparamos, e sim superá-los, tendo em vista que sempre depois da escuridão da noite vem os raios quentes e reconfortantes do nascer do sol.

Selo Doce Essência

|
Bom, ganhei esse selo bonitinho do blog As Melodias da Lina. Muito obrigada!




As regras desse selo são as seguintes: Colocar o link do blog que me indicou, indicar outros 5 blogs e responder as perguntas abaixo:

1. Mania: Não tenho idéia de uma mania minha, talvez seja melhor quem eu conheço responder essa por mim.

2. Pecado capital: Gula.

3. Melhor cheiro do mundo: Grama molhada da chuva.

4. Se dinheiro não fosse problema, eu faria: Uma viagem de uns 3 meses para a Europa? UMa viagem por vários lugares do Brasil? Compraria um apartamento duplex perfeito? Não sei, não penso muito em coisas muito impossíveis de acontecer hshashashas

5. Casos de infância: Um cachorro maior que a minha bicicletinha me perseguiu e me deixou com medo de cachorros.

6.Habilidade como dona de casa: Nenhuma, eu iria morrer de fome.

7. O que eu não gosto de fazer em casa: Não vem nada em minha cabeça que eu prefire fazer em outro lugar se não em casa.

8. Frase: "Nós somos a mudança que queremos ver no mundo." - Mahatma Gandhi

9. Passeio para o corpo: Spa.

10. Passeio para a alma: Ouvir uma música muito legal, daquelas que entram mesmo na sua alma em um lugar muito legal, em um momento da sua vida onde as coisas estão dando certo (eu viajando aqui).

11. O que me irrita: Muitas coisas. No momento provavelmente acordar cedo é a que mais irrita.

12. Frase e/ou palavra que fala muito: "tipo...", "mew...", "cara...", "velho..."

13. Desce do salto e sobe o morro quando: Tem alguma coisa realmente injusta acontecendo.

14. Talento oculto: Queria ter, mas acho que não tenho nenhum.

15. Não importa que seja moda, não usaria nem no meu enterro: Crocs

5 blogs que indico para o selo: ...e sarcasmo é o meu nome do meio...; Just be happy; Sleepwalking past hope; Dreamgirl ; ) - e sua micolândia; Ana Bea

To esperando insperação para novas postagens, o que não deve acontecer antes do fim de semana, já que a semana ta meio movimentada. Beijos à todos.

O tempo

|

Tenho a ligeira impressão de que quando mais cresço, mais rápido passa o tempo, o que considero meio injusto. Quer dizer, quando eu era criança, não tinha muita coisa pra fazer sabe, era basicamente brincar e coisas do tipo. Mas agora, sei lá, parece que quero fazer mais coisas do que o tempo me permite. Quero cantar, tocar, rir, ler, escrever, viajar, curtir, dançar, zoar, sair, passear, abraçar, beijar e muitas, muitas outras coisas.Parece que cada vez mas nossa vida está sendo consumida, então nunca esqueça de aproveitar os pequenos momentos, sejam eles muitos ou poucos.


Another turning point
Outro momento decisivo;
a fork stuck in the road
uma encruzilhada na estrada.
Time grabs you by the wrist
O tempo agarra você pelo pulso;
directs you where to go
direciona você aonde deve ir.
So make the best of this test
Então pegue o que tiver de melhor desse teste
and don't ask why
e não perguntei o porquê.
It's not a question
Não é uma questão
but a lesson learned in time
mas uma lição aprendida a tempo.
It's something unpredictable
É algo imprevisível
but in the end it's right
mas no final está certo
I hope you had the time of your life
Espero que você tenha tido tempo para a sua vida.
So take the photographs
Então pegue as fotografias
and still frames in your mind
e imagens ainda em sua mente.
Hang it on a shelf
Pendure-as na prateleira
of good health and good time
da boa saúde e bons tempos
Tattoos of memories
Tatuagens de memórias
and dead skin on trial
e pele morta em julgamento
For what it's worth
Porque o que vale
it was worth all the while
valeu o tempo todo.
It's something unpredictable
É algo imprevisível
but in the end it's right
mas no final está certo
I hope you had the time of your life
Espero que você tenha tido tempo para a sua vida.
It's something unpredictable
É algo imprevisível
but in the end it's right
mas no final está certo.
I hope you had the time of your life
Espero que você tenha tido tempo para a sua vida.
Good Riddance (Time of your life) - Green Day


Escrever

|

Por que simplesmente há dias que não sei o que dizer? Não que eu não tenha nada a dizer, pelo contrário. São exatamente os dias que não sei o que dizer que mais quero dizer. Que preciso falar, me expressar, preciso que todos saibam a minha opinião, o que eu sinto. Mas não sei o que dizer, me faltam palavras. Ou ainda dias que só o que me falta na verdade é a inspiração. Inspiração para conseguir por no papel ou no caso, no blog o que eu penso. Inspiração para dentro do meu vocabulário da língua portuguesa buscar as palavras adequadas em que se encaixam exatamente os meus pensamentos, minhas idéias nem sempre muito estruturadas ou comuns. Mas por que será que há esses dias que não consigo achar as palavras? Talvez por isso escrever seja considerado um talento. Não porque nem todos temos idéias criativas e inovadoras para compartilhar, mas porque nem todos conseguimos efetivamente compartilhá-las, apesar de as vezes nos esforçar para conseguir. Quem sabe um dia adquira a capacidade que tanto admiro. Não para escrever extensamente sobre algo específico, mas para pelo menos conseguir traduzir meus pensamentos.

Selo

|
Primeiro selo que meu blog ganha, então vamos lá:


*Meu doce predileto: Chocolate provavelmente

*Música predileta: não sei escolher uma só, nunca vou conseguir fazer isso, então vou escolher a que estou ouvindo - Good Riddance, Green Day

*4 blogs indicados: ...E sarcasmo é meu nome do meio. ; Just be happy; Macbeth-Circus; Ana Bea

Diferença

|


"Nós somos a mudança que queremos ver no mundo" Gandhi

Nem todo mundo insentiva um pensamento como esse, mas eu sim.
Nem todo mundo acredita nos atos individuais, mas eu sim.
Nem todo mundo acha que fazer a sua parte pode ser de grande ajuda, mas eu sim.

Eu acho, e sempre achei, que a mudança começa com a pequena parte de cada um de nós.

Sobre mim

|
*Nome: Elisa

*Quantidade de velas no teu último aniversário? 16

*Tatuagens? nao

*Piercings? não

*Já foi à África? não

*Já ficou bêbado? não

*Já chorou por alguém? nao tenho certeza, acho que sim

*Já esteve envolvido em algum acidente de carro? não

*Peixe ou carne? carne

*Música preferida? varias

*Cerveja ou Champanhe? nenhum dos dois, nao curto o gosto de alcool

*Lençóis de cama lisos ou estampados? liso

*Filme preferido? talvez Orgulho e Preconceito

*Flores: rosas

*Coca-Cola simples ou com gelo? com gelo

*Quem dos teus amigos vive mais longe? Paola ( porto alegre), mas tenho conhecidos nao tao proximos no exterior

*Quantas vezes você deixa tocar o telefone antes de atender? sei la, ate eu vencer minha preguica e ir la atender

*Qual a figura do seu mouse-pad? uma foto da minha familia

*Pior sentimento do mundo? solidao

*Melhor sentimento do mundo? felicidade

*O que uma pessoa nao pode ter para ficar com vc? não pode se achar

*Qual o primeiro pensamento ao acordar? "e laia, mais ja tem que acordar..."

*Qual o último pensamento antes de dormir? nao sei

*Se pudesse ser outra pessoa, quem seria? adoro ser quem eu so

*O que você nunca tira? aquelas fitinhas do tornozelo

*O que você tem debaixo da cama? a bicama

*Qual livro vc está lendo? Amanhecer, apesar de achar que era melhor

*Uma saudade? do tempo que eu nao tinha nenhuma obrigacao

*Uma característica tua: feliz

*Decepções que tive em minha vida: ainda não tive nenhuma que tenha me marcado

*Alegrias que tive em minha vida: muitas

*Programas de TV que assistia quando criança: castelo ra tim bum, cocorico, disney club, chiquititas...

*Programas de Tv que assisto hj: muitos mesmo


*Lugares em que estive e voltaria: Paraty, Campos do Jordao, Europa

*Formas diferentes que me chamam: Elisa, Lisa, Li, Lis, Lizzie...tem mais eu acho

*Pessoa que me manda e-mails quase todos os dias: ninguem

*Comidas Favoritas: Comida boa, Mc, chocolate.

*Lugar em que desejaria estar agora: estou onde quero estar

*Espero que este ano eu possa...: nao plenejei nada para o resto do ano

O presente

|

To começando a achar estranho. Pareço atualmente ser a única pessoa que dá tempo ao tempo sabe... Não estou anciosa, e faz tempo que não fico ansiosa. Pra nada. Nada mesmo. Os que me conhecem sabem que eu tenho um grande motivo para estar, estou indo essa semana pra um lugar que sempre quis conhecer... Não que não me pareça nada de demais, mas eu não vejo motivos para estar ansiosa. Ok, eu até sei que me sobram motivos para isso, mas estes não me parecem cabíveis. Quer dizer, vai chegar o dia não? Porque eu tenho que sentir frenesi hoje por algo que vai chegar, mais cedo ou mais tarde? Sei lá, de um modo geral, já não me sinto tão incomodada pelo fato de que o futuro cada dia bate mais a minha porta. Quando eu digo o futuro, são aquelas escolhas que vou ter que tomar ano que vem, como profissão, faculdade ou não e etc. Só estou vendo que compensa muito mais curtir um dia de cada vez, sem pensar muito no amanhã. Quero dizer, se ficar pensando demais no futuro, o que vai ser do nosso presente? Acho que não compensa sabe... Não sendo pessimista, mas a gente nunca sabe se o amanhã vai chegar ou não, e até chegar, tanta coisa pode acontecer, que ele pode ser totalmente diferente do que sequer podíamos imaginar.


Foi tudo meio enrolado hoje, desculpem a minha falta de articulação e exposição de idéias, mas o que eu estou realmente querendo dizer é, por favor, não se preocupem tanto com o futuro! Curtam e valorizem as coisas que os cercam agora, os momentos que vivemos agora, porque nada disso volta. Não pense nunca que preferia já ter tantos anos ou já fazer tal coisa. Nunca deseje ser mais velho, e também nunca deseje ser mais novo. Simplesmente curta o que você é agora, e sem impaciência, tenha consciência de que o futuro chegará, mais cedo ou mais tarde. Tudo a seu tempo.
Desculpem-me denovo pelas linhas mal-escritas, é que hoje eu acordei para ser um vegetal.

Amigos

|


Esses dias tenho lido muitos posts sobre amizade, e todos acabam acentuando mais e mais aquele sentimento que tem aumentado dentro de mim sabe, aquela sensação de que faço parte de alguma coisa, de que pertenço a algum lugar. E essa é uma ótima sensação, que eu nunca senti tão intensa antes e nunca quero deixar de sentir, nunca mesmo. Sei lá, não que não tivesse amigos antes, lógico que tinha, mas esse ano parece que está tudo mais intenso, que realmente somos todos uma família, sem intrigas e nem nada do tipo. Queria muito mesmo poder dizer a todos os meus amigos tudo o que eu sinto, por cada um deles, mais realmente palavras me faltam, e também, bem, nunca fui muito boa em realmente dizer o que eu sinto. Bom, só sei que sejam altos ou baixos, quietos ou falantes, quentes ou frios, extressados ou felizes demais, estando perto ou longe, eu não seria nada sem vocês. Ok, talvez eu até fosse alguma coisinha, mais nada de importante, e nada faria sentido. Acho que o que mais quero mesmo é agradecer por tudo, por todos os momentos, sejam eles as 7h da manhã de uma sexta-feira ouvindo bronca de uma professora pelo nosso mau desempenho ou desleixo ou às dez da noite jogando verdade ou desafio, que na verdade nem é mais verdade ou desafio, são só perguntas mesmo. Eu nunca, jamais mesmo vou me esquecer de vocês. Não tem como, vocês me marcaram e me modificaram de um jeito mais que irreversível. Vocês estão em tipo, 95% das minhas memórias. Como noites do pijama repletas de conversas, ou então em passeios escolares que envolvem lama, areia e outras cositas más. Eu também lembro de coisas mais simples sabe, como idas a lanchonetes ou dias congelantes de aula. Eu não trocaria vocês por nada e por mais ninguém. Todos nós somos tão radicalmente diferentes, que acho que isso que nos faz tão unidos. Eu do fundo do coração amo cada um de vocês, com todas as forças do meu corpo, e quero muito que vocês tenham conciência disso.



Esse foi uma tentativa minha de dizer algo do que eu sinto, mais claro que nem chegou perto de tudo o que queria dizer, pois, como havia comentado lá no começo, palavras não bastam.



Dedico isso à todos os meus amigos.

Decepções

|

Acho que é difícil encararmos uma derrota. Sempre é. Principalmente quando se tratava de algo que esperávamos com entusiasmo, que por mais impossível que parecesse, que apesar de sabermos que seria difícil alcançar, batalhamos. Mas aí é que está. Não é por não alcançarmos nossos objetivos que somos fracassados. Nem sempre depende de nós. Claro, dependendo do que for, 90% pode depender do esforço pessoal, mais os 10% que infelizmente depende dos outros interfere na nossa conquista. Talvez vocês sejam adeptos àquela filosofia de que com esforço alcançamos nossos objetivos, seja lá o que for. Não acho que é bem assim. Por exemplo, não sei se vocês se lembram, mas no ano passado, durante as olimpíadas, mais precisamente na final com salto de vara, a brasileira Fabiana não pode ter perticipação efetiva, por que uma de suas varas simplesmente sumiu. Agora me diz, foi culpa dela? Não, todos sabemos... não importa o que aconteceu exatamente para esse texto, só citei o caso porque é um exemplo bem explícito de que nem sempre a culpa é nossa. Não quero trazer a ideia de que então não devemos lutar pelo que queremos, pelo contrário, devemos lutar ainda mais. Pode ser que não seja tudo que dependa da gente, quando se trata de nossos objetivos, mas então devemos fazer o possível, para podermos tentar fazer diferente e melhor, entre tantos que muitas vezes têm o mesmo desejo e para se fracassarmos podermos dizer com cabeça erguida de que fizemos todo o imaginável, todo o possível. Eu pelo menos, vo sempre tentar fazer com que os 90% da minha parte possam superar os 10% exterior.

Nossos dias

|

Tava pensando aqui... tudo muda tão rápido não? Sei lá, parei pra pensar, de uma hora pra otra, nossa vida pode simplesmente dar uma reviravolta. Um dia pode fazer toda a diferença, pode mudar toda nossa concepção sobre determinado assunto, pode mudar nossa visão e o valor que damos para a vida. Pode nos trazer momentos inesquecíveis, no bom e no mal sentido. Pode mudar radicalmente nosso humor. Pode mudar nosso carinho e afeto para com uma pessoa. Então tente não desejar que determinado dia passe, ou que já fosse um certo dia. Um dia pode mudar muita coisa. Só depende da forma com que encaramos tudo.

Relaxem!

|

Bom, isso não vai chegar a ser um post de verdade, mais só queria passar aqui pra lembrar a todos, ainda mais no final de semestre, para relaxarem... Sabe, ocupamos muito tempo de nossas curtas vidas nos importando com coisas desnecessárias. Ta bem, talvez não realmente desnecessárias, mas que deveriam ser. Quer dizer, toda essas história de notas e tal, não me parece um bom jeito de se avaliar o potencial de uma pessoa. Nunca me pareceu. Por isso acho tão errado o sistema de algumas escolas e cursos de separar as classes por notas. Não é isso que vai definir quem você realmente é, o seu caráter. Sei lá, as provas não me parecem ter realmente sentido se você não aprendeu de verdade o que deveria lhe ter sido ensinado. Acho que causam às vezes um estresse que não deveriam, sei lá, não me parece muito saudável submeter crianças e adolescentes a isso.

Isso não é um protesto contra todo o sistema educacional nacional, ta? Só um alerta, um lembrete para amigos e pessoas no geral, de quem não devemos basear nossas vidas nisso, nem perder a cabeça por isso. Claro, você deve estar pensando: essa menina com essa filosofia barata não vai chegar em lugar nenhum da vida, nem sequer entrar em uma boa faculdade. Bom, não sei do meu futuro, pode ser que não chegue a lugar nenhum, mas sei que soube curtir meus momentos sem virar uma alienada por apostilas, e soube dar o melhor de mim, e de mim, não do que tentaram me moldar juntamente com o resto dos indivíduos da minha classe. Porque sou uma pessoa, não uma maquina. Às vezes esquecem-se disso.

Podem acreditar, por mais que pareça, não é um grito desesperado de quem está indo mal... É só algo que estou compartilhando, algo que nunca me pareceu realmente justo.

Outra coisa também ruim é se afundar em horários, compromissos, tarefas, deveres. Nossa vida não deveria ser marcada pelo relógio, definida pelo seu tiquetaquear incessante! Não! Esqueça isso! Claro, eu sei que não dá para esquecer literalemnte da hora, mesmo porque nosso sistema de sociedade não nos permite nada do tipo. Mas o que eu quero dizer é que devemos viver menos para uma vida sistematizada e mais para uma vida em que o objetivo não é dinheiro, nem um emprego importante, nem um boletim maravilhoso, em que o objetivo é nossa felicidade.

Sobre medo

|


Da onde vem o medo? Por que temos medo? Tememos o que exatamente? Tenho medo, como todo o ser humano que já viveu nessa terra. Desde medos bobos como de um filme de terror ou talvez uma montanha-russa muito alta até medos mais complexos, que creio que quase todas as pessoas sentem: medo de perder alguém, medo de morrer. Mas não entendo, será que vale a pena passar a vida temendo a morte? Quero dizer, a morte é a única certeza que temos, a certeza que atormenta as nossas almas, a certeza que não podemos negar e nem fugir. Simplesmente não tem como. Mas não sei o que nos atormenta mais: Se vai doer, o que vem depois da morte, se é o fim. Afinal, para que estamos vivendo? Uma pergunta que não tem resposta não é? Aí entra a fé. Tem um papel importante, nos diz que não vivemos em vão. Não importa a crença, desde que haja algo depois. Talvez por isso não tenhamos desistido da vida no primeiro obstáculo. Pense bem. Você vive por um motivo, tem sempre algo que faz você levantar cada manhã e continuar lutando, continuar apesar de tudo que aparece para te impedir, apesar das dores, das decepções e das dificuldades. Algo ou alguém. O que eu acho é que vale a pena viver apesar de tudo, mesmo que não haja algo depois. Mesmo que haja momentos que me deprimam, porque há momentos bons. Mesmo que sejam poucos, mesmo que sejam pequenos, mesmo que não durem muito. Por esses momentos que eu vivo. E se não houver nada depois, bom, então aproveitei os momentos que pude, os momentos que tive. Vivi.

O mar

|

O mar. Estava novamente contemplando a imensidão azul que se estendia até a onde a vista alcançava, perdida no meio de um turbilhão de pensamentos. Pensamentos de dias felizes. Constatou que nunca fora tão feliz em toda sua vida. Era certo de que não vivera tanto tempo assim para dizer:"em toda a sua vida", ainda era jovem, ainda estava aprendendo a viver. Talvez ainda nem sequer soubesse o real significado de felicidade. Mas com certeza nunca se sentira tão bem e satisfeita.
Ao ver as ondas quebrando na areia iluminada pelo sol, sorriu. O tempo aberto em um céu sem nuvens parecia concordar com ela, reafirmar a sua alegria, e o dia parecia lhe sussurrar ao ouvido: a vida é bela!

Romances

|


Ainda estou para descobrir porque nos encantamos com romances fictícios. Claro que também acho legal e tudo... Mas pensa bem: eles são perfeitamente imperfeitos, sempre com turbulências exageradas, comportamentos encantadores... Não parece tudo tão idealizado? Por mais que eles sejam uma tentativa de aproximar a ficção da realidade, ainda assim não é aquela coisa... humana. Simplesmente não é! Eu acho que o que mais distancia um do outro(romance fictício e o real) é que o romance da vida real é repleto de situações puras sabe, sem nenhuma extravagância nem nada do tipo. É mais natural. Onde os pequenos momentos que realmente importam. Não sei se nos espelhamos nos modelos certos. Quer dizer, é ficção, cuja definição é: ato ou efeito de fingir; invenção(fabulosa ou engenhosa); dissimulação*. Não me parece um bom modelo a ser seguido...

Inspiração

|
eu queria por aqui uma música que a letra sempre foi muito especial pra mim... Sei lá.. o ritmo não é assim essas coisas... mas a letra é bem legal.. eu acho que a gente devia lembrar esse tipo de coisa todos os dias...

Músicas que as pessoas que eu convivo não querem mais ouvir

|
Só para algumas pessoas não esquecerem de mim:
http://www.youtube.com/watch?v=S17cl0z4csI&feature=PlayList&p=DEF4025662B09A62&playnext=1&playnext_from=PL&index=51

Eu tentei por o vídeo aqui, mas não tinha como incorporar...

E tem a clássica:

Videozinho alheio

|
Ta, eu achei que hoje, como eu não tenho nada pra fazer a tarde toda eu ia achar um assunto descente... mas não...
Mas eu achei esse vídeo fuçando no youtube alheio:


Mew, depois dessa não chamo mais nenhum juíz de ladrão...
e é impressão ou o cara fica falando "câmara" em vez de câmera?

Bjs....até eu encontrar a minha inspiração denovo, ou achar mais um vídeo tosco e sem sentido

Comecinho...

|
Finalmente fiz esse blog! enrolei em? mais eu estava precisando dele, é sempre bom ter um lugar para escrever pensamentos, opiniões e coisas do tipo...enrolei, enrolei, enrolei e agora não tenho assunto pra escrever... hsahashsaahsash