A música

|


Hoje estava escutando e falando sobre músicas com uma amiga e bem, parei para pensar. É realmente impressionante o poder que a música tem. Não tem bem como descrever todas as sensações que uma música pode causar em você, ela te leva aos extremos. Te faz sorrir quando está feliz ou te anima quando está triste, aquele ritmo contagiante com uma letra super positivista te lembram as partes boas da vida. Te lembra porque vivemos, para o que vivemos. Te enchem a alma de algo extraordinário, algo que te deixa completo. É aquela sensação de que o que importa é nada mais é do que o aqui e o agora. Dá aquele vontade desesperada de viver e aproveitar todos os segundos. Sinceramente parece que te transporta para o melhor lugar do mundo, um lugar com o sol acolhedor batendo no seu rosto, mas que não te queima, pois lá tem uma brisa suave para te refrescar e deixar aquela sensação de que tudo é perfeito. Você se esquece totalmente dos problemas seus e do mundo.

Em contra partida, também tem aquele tipo de música que te arranca um pedaço, que te deixa com uma sensação terrível de vazio no corpo, mostra-te que algo lhe falta. Mostra-te que é incompleto e nunca poderá deixar essa condição. Faz com que perceba que por mais que pense que é feliz, bom, não é e nunca poderá ser. Porque somos todos humanos, não atingimos a perfeição, estamos sempre nos cercando de problemas, cada vez se enroscando mais em uma teia da qual não conseguimos escapar. E a cada tentativa de nos soltarmos acabamos mais enroscados. Esse tipo de música faz com que você se sinta engolido pela escuridão, sem nenhuma esperança de encontrar um feixe de luz sequer. Mas mesmo assim, esse tipo de música nos atrai de algum jeito, desconhecido para mim. Não estou falando de música exatamente deprimente. É aquele tipo de música na qual a melodia vem vagarosamente te envolvendo, e quanto mais de envolve, mais te deixa vazio, o que chega ser até contraditório de algum jeito.

E então vem a letra. Tem um filme, 'Letra e música', no qual a personagem principal diz algo que eu lembro de ter achado perfeito para descrever uma música. Era algo como: a melodia é como ver alguém pela primeira vez, é o que te atrai. E então vem a letra, que seria como conhecer realmente a pessoa.

Acho que é bem por aí mesmo. A letra bem escrita transforma algo que já era magnífico em algo que chega a ser surreal. Aproxima-nos da música. Faz com que sintamos mais intensamente tudo o que já estávamos sentindo, simplesmente por ser uma expressão de um estado de espírito. É um estado de espírito que sempre nos provoca e instiga a sentir nossos próprios sentimentos à flor da pele.

Sem música, acho que nada seríamos. Temos que achar um meio de transmitir e aliviar tudo o que sentimos. Temos que nos identificar, sorrir, chorar, nos alegrar, entristecer. Temos que ouvir, temos que tocar, que compor, que dançar, que nos libertar.

4 pessoas também deram sua opinião:

Juh disse...

Nossa eu mudo totalmentemeu ser com musica!
tem musicas que me aumentam a depressao, a felicidade, me faz sentir o extremo de tudo que eu sinto. TUDO MESMO.
nao sei como pode ter gente que nao ouça mto musica....

Luana Andrade disse...

OI Lih,
Músicas ampliam nossas sensações além de focalizar sentimentos, individualizar momentos, reduzir tormentos, destruir lamentos... Afinar nossas sinfonias errôneas com quais insistimos arduamente em cantar nessa vivência. Belo texto, bela percepção. Musical, esplêndido. Um abraço sonoramente único para você, um acorde distinto.

Pitchulinha disse...

Nossa Li, você colocou em palavras tudo aquilo (ou quase tudo quilo) q sento numa música. Ela me deixa triste, feliz, tras magua, lembranças, nostalgia...e por ai vai.

Também concordo com o que você disse no 3º e 4º paragrafo.

Seu blog ta muito bom!!! hehe
Beijão! te amo S2

Desirée disse...

Eu não consigo ficar sem músicaaa!
bjo :)