E não vem...

|

A solidão do meu quarto apesar de me atormentar é de certo modo aconchegante, o que não faz nenhum sentido. Através da janela, sem sequer me levantar, olho para o imenso azul escuro do céu lá fora. Um céu deserto, sem estrelas que me façam lembrar da imensidão do universo. As lágrimas voltam a recobrir o meu rosto. E a insegurança não passa. Luto inutilmente contra elas, não posso mais controlá-las, já faço isso a muito tempo. De repente o que começou com algumas gotas se transforma em uma enxurrada, que trás consigo a tona todas as mágoas e inseguranças, todas as tristezas e decepções. O choro então vem com o soluço abafado, com o desespero. E a calma não vem. Depois do demorado choro de desabafo solitário, vem o mais temido sentimento: a desistência. Vem aquela certeza de que nada que eu faça irá fazer com que as coisas melhorem. E a paz não vem. Mas o medo de que as coisas não mudem, de que os temores se tornem a realidade de meu futuro trazem um desespero e descontentamento momentâneo, que enfim, torna-se vontade de fazer com que as coisas melhorem. E vem a determinação. Determinação de transformar as pequenas chances que me restam em realidade, de torná-las possíveis.

6 pessoas também deram sua opinião:

Rodrigo Band disse...

Determinação é uma das palavras que mais precisam estar presentes no nosso dia-a-dia, senão ferra.
E o que menos nos faz desistir da "desistência" é cada dia perceber que tem muita gente nesse mundão que quer o bem da gente e nós queremos o bem delas.
E o melhor é quando isso acontece de forma inesperada.

Serrao disse...

Lih, mesmo sabendo que você não confia em mim , e que talvez nunca confie o suficiente para me dizer o que se passa em sua vida, saiba que eu sempre estarei lá para você quando você precisar, embora eu saiba que você nunca recorrerá a mim , é reconfortante e tranquilizante saber que eu lhe posso ser útil em algo, saber que você sempre poderá contar comigo e que você me marcou, Lih, te adoro.

Juh S. disse...

A lut contra o choro as vezes é uma luta mais intensa e nociva do que a simples aceitação dele. Nós passamos por tantas coisas juntas, nos tornamos tão ligadas a si mesma, que enquanto lia isso lagrimas também me vinham e tudo que eu queria era parar com o sofrimento e angustia que todo o mundo possa lhe causar. EU sei que não posso, mais voce sempre sabe que eu serei seu porto seguro.
COnta sempre com o seu lado emotivo aqui ta?

bjss

Ps: só pra descontrair e eu voltar pro meu modo "corretor ortografico da lih", "Diga o que quizer...ou não" quiser, com S lih!
ai, minha tchuca não muda mesmo...
=D

Lu Andrade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lu Andrade disse...

Lih,
Este tão foi muito descritivo de um dos momentos distintos da condição humana... Estas causas, concausas e o aliviar por lágrimas. Espere, não foi o aliviar... foi circustância precedente a desistência ou de fato resistência. Resta renovar estas "pequenas chances", reformular realidades. Sobrevivência? Bela exposição de retalhos.
Obrigada por demonstrar aqui. Beijos.
P.S.: Sinta esses momentos, pois é essência,inspiração e valoração daquilo se importa, que lesiona seu discernimento ou clarifica seu raciocínio sobre algo que perturba, entristece... enfim, me inspira. Te inspira também?

Pitchulinha disse...

Ai, é horrível ler essas palavras tão intensas e não poder estar aí pra te confortar ou tentar te ajudar. A pior coisa pra mim é quando alguém que eu amo muito está sofrendo, dói em mim também. Saiba que você sempre me terá aqui, pelo que for. Nem quatro anos separadas fisicamente são o suficiente pra diminuir o impacto do seu sofrimento em mim, continuo me preocupando com você igual. Sei bem que, muitas vezes, palavras não são o suficiente para amenizar a dor, mas é o que eu consigo fazer daqui de onde estou para te mostrar o quanto te amo.